Apresentação

Desde sempre as bibliotecas foram um símbolo de poder, por ensejarem conhecimento, cultura, ciência, arte, e sua existência em palácios e conventos os tornariam lendários.

Quando, fugindo de Napoleão, a Família Real portuguesa chegou ao Rio trazia nas naus parte de sua biblioteca e logo o futuro Rei D. João VI a instalou em anexo do Paço da Praça XV. Seria a Biblioteca Real, depois dos Imperadores e por fim da República, já então alçada à condição de Biblioteca Nacional. Em cada um desses períodos ganharia uma edificação com imponentes arquitetura e localização, mas o Prédio-Sede da Avenida Rio Branco é o único que conhecemos.

Diferente das demais bibliotecas, a Biblioteca Nacional tem a missão de guardar o patrimônio bibliográfico, livros, partituras, jornais, revistas, folhetos, gravações produzidos no país e significativos de nossa cultura. Desde 1907, o depósito legal foi estabelecido por lei federal e toda editora deve repassar à instituição pelo menos um exemplar de suas publicações.

Também diferente das bibliotecas, a Biblioteca Nacional não faz empréstimo das obras, mas as oferece à leitura em suas salas, ponto de encontro de pesquisadores e estudiosos. Em tempo recente, a BN Digital possibilitou o acesso de brasileiros de todo o território a seu excepcional acervo – a UNESCO considera nossa Biblioteca Nacional a sétima em importância no mundo -.

Entretanto seu acervo crescente há muito não encontra lugar nos armazéns do Prédio Sede e outros espaços foram incorporados, como andares no antigo prédio do MEC. E uma velha Estação de Expurgo do Ministério da Agricultura na então decadente Área Portuária carioca, após reformas internas, passou a ser um armazém complementar.

Mas o Projeto Porto Maravilha, da Prefeitura do Rio, vem transformando essa região e, no novo contexto urbano, o armazém ganhou destaque, tal como sempre estiveram os antigos prédios da Biblioteca Nacional.

A requalificação da construção se tornou imperiosa para receber mais coleções, sala de leitura e o grande escritório de processamento técnico das obras. E para atender o novo bairro foi planejada uma Área Pública tendo Biblioteca com coleção própria, Biblioteca Virtual, Auditório e espaço para Exposições.

A reforma e ampliação do Anexo da Biblioteca Nacional no Porto Maravilha é o objeto deste concurso nacional de projetos de arquitetura.